quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Russell Philip Shedd - Teólogo sem rótulo



UM TEÓLOGO SEM  ROTULO

Russell Phillip Shedd (1929 – 2016)
“Hoje, meu coração entristece,
morreu um homem de fé
(Russell Phillip Shedd).
Não! Não morreu, fez a viagem.
Voltará na companhia dos anjos!”

INTRODUÇÃO

Teologia palavra que conceitua o estudo ou tratado das questões concernentes à divindade e suas relações com os homens. Adequando-se também para identificar os expositores do pensamento religioso. O termo deriva do grego Theos (Deus) e  logia (estudo). Termo cunhado por Pedro Abelardo (1142) em substituição à forma corrente “Sacra Pagina” e “Sacra Doctrina”. Agostinho (354-430) a denominou como a rainha das ciências.

Entre os teólogos contemporâneos (B.B. Warfield 1851-1921, A. Kuyper 1837-1920, H. Bavink 1854-1921, L. Berkhof 1873-1956) que  manteem fiéis aos fundamentos bíblicos e de certa forma inspirados nos ideais calvinistas de fidelidade às Escrituras encontra-se Russell Phillip Shedd (1929 – 2016), natural de Aiquile, Bolivia.   Filho de Leslie Shedd Martin e Della Johnston, missionário entre os índios. Aos cinco anos, depois de obter o curso primário em terras bolivianas, viajou na companhia dos pais para os Estados Unidos da América, onde completou seus estudos, graduando em Teologia pela Wheaton College e aos 25 anos obteve o grau de doutor (PH. D.) em Novo Testamento pela Universidade de Edimburgo – Escócia. Na sua tese, abordou o uso do apóstolo Paulo das concepções judaicas e do Antigo Testamento a cerca da solidariedade da raça. O referido tema desdobrou-se em três grandes obras.
Semelhante a Martinho Lutero (1483-1546) que se viu salvo de um temporal e posteriormente dedicou-se ao  sacerdócio, Russel ao  ser salvo de um desastre em terras chilenas, entendeu que Deus o estava convocando para a obra missionária,  mesmo porque o espírito missionário que moveu seus ancestrais iluminou-o também para a obra. No século XVII, um dos seus antepassados, Daniel Shedd, migrou ao lado dos 25 mil puritanos ingleses da Inglaterra em direção a América do Norte. Shedd sempre respirou missões. Teve na família teólogos de orientação presbiteriana, cuja influência cooperou para o desenvolvimento do seu pensamento.  
Na década de 50, Russell aceitou o cargo de professor Southeastern Bible College, em Birmingham, no estado do Alabama, onde conheceu uma aluna chamada Patricia Dunn. Casaram-se em junho de 1957 e passaram a lua de mel na Guatemala.  Enlace que dourou 59 anos e gerou cinco filhos: Timothy, Nathanael, Pedro, Helen e Joy. Quatorze netos: Laura, Kelly, Rebecca, Katherine, Leander, Cayenne, Henry, Joanathan, Michael, Stephanie, Evelyn, Scott, Susan, Katie e uma bisneta chamada Izabella.
Seis meses após o casamento Russell e Patrícia seguiram para o desafiador campo missionário, Portugal, designado pela Conservative Baptist Foreign Mission Society, com a missão de preparar liderança. Chegaram a Portugal em agosto de 1959 e deram início ao ensino no Seminário Batista em Leiria. Russel tinha o cargo de acompanhar o ministério da produção da literatura. Esse ministério foi denominado Edições Vida Nova. O objetivo era produzir obras para formação teológica dos estudantes, professores e pastores. Barreiras começaram surgir como os altos custos da impressão que inviabilizava a produção em grande número. Outra barreira significativa era a lenta venda das obras. Buscaram então uma solução segundo eles, orientados pelo Espírito Santo para cruzarem o Atlântico em direção ao Brasil, país que oferecia um custo favorável para a produção e uma grande clientela  interessada em obras teológicas.
Em agosto de 1962 chegaram ao Brasil estabelecendo na cidade de São Paulo e em parceria com alguns brasileiros, financiados pelos Estados Unidos, reorganizam a Edições Vida Nova. Um dos trabalhos mais importante na época foi a produção da Bíblia Vida Nova que muita alegria trouxe à Russell
INFLUÊNCIA
Em 1965 Russel recebe convite para lecionar na Faculdade Batista de São Paulo na área de graduação e mestrado. O profundo conhecimento bíblico de Shedd e sua simplicidade na comunicação foram fatores que atraíram estudantes para suas aulas. Milhares de alunos foram influenciados pela sabedoria de Russell Shedd.  Alguns chegam afirmar que uma geração foi influenciada por esse grande homem
Embora Russell Shedd tenha tido a oportunidade de lecionar em grandes instituições teológicas do mundo, foi o Brasil que escolheu. Certa ocasião chegou afirmar que em terras brasileiras sentia-se mais útil. Recebeu vários convites entre eles, Seminário Teológico Batista em Denver, Colorado; Trinity Evangelical Divinity School em Chicago; Bethel Theological Seminary no estado de Minnesota  e também na instituição na qual recebeu seu doutorado, Wheaton Graduate School.
A influência de Shedd estendeu-se também fora do Brasil. De 1982 a 1988, foi membro da comissão teológica da World Evangelical Fellowship.Também fez várias preleções em Cingapura e no Havai para o Haggai Institute. No Brasil prestou vários serviços na área de publicações, inclusive com editor responsável pelos comentários da Bíblia Shedd. Participou na comissão que trabalhou na tradução Bíblia Nova Versão Internacional, uma das mais vendidas nos Estados Unidos.
Shedd avaliava positivamente a expansão missionária no Brasil por brasileiros. Um expoente nessa visão foi seu aluno, Edison Queiroz que trabalhou na promoção de treinamento e envio de missionários ao exterior. Shedd tinha uma visão tolerante com movimentos carismáticos no seio da igreja tradicional, muito embora permanecesse firme nos princípios batistas fundamentado nas Escrituras, por isso sua teologia era bíblica, embora não aceitava ser rotulado como tantos outros.
Teologicamente Russel Shedd era um batista, afirmava que a salvação vem pela graça mediante a fé através da eleição e predestinação. Embora possa parecer estranho para muitos batistas as expressões: eleição e predestinação por soar um tanto calvinista.  Era um forte defensor da pregação expositiva. Para ele, a Bíblia é a Palavra de Deus.
Russel Shedd era um ferrenho crítico da chamada Teologia da Prosperidade, para ele, o crescimento que ela provoca não é fruto de um genuíno avivamento e sim por encontrar uma população extremamente mística e decepcionada com a Igreja Católica. O futuro da igreja cristã brasileira bifurca em duas direções afirmava. Para uns a Palavra é fundamental; para outros a igreja assemelha-se a um clube, cuja atenção volta-se para danças, músicas e modismos que causará separação nas igrejas.
OBRAS
Sua primeira obra em português nasceu como fruto das preleções na Carta do apóstolo Paulo aos cristãos de Efésios que recebeu o título de Tão Grande Salvação, ABU Editora (1978), Vida Nova (1988);  Man in Community, Epworth Press (1958),e Eerdmans (1962); Escatologia do Novo Testamento, Vida Nova (1983); Adoração Bíblica, Vida Nova (1987); A Justiça Social e a Interpretação da Bíblia, Vida Nova (1984) entre outras.
CONCLUSÃO
A teologia contemporânea abraça todo o pensamento teológico que se estende dos tempos modernos aos dias atuais com suas raízes na obra dos reformadores do século 16 que fundamentaram na Bíblia. Entre os reformadores, destaca-se João Calvino (1509-1546), uma referência na literatura teológica.
Russel Shedd tem muito de calvinista na sua teologia, porém nem por isso deixou de ser batista. E como ninguém vivenciou a verdadeira identidade batista destacando seu caráter, fé, devoção, santidade, convicção, discrição, resignação, obediência, mansidão e amor pelas pessoas, como bem sintetizou o presidente da CBB, Pr. Vanderlei Batista Martins.
 Bibliografia
Bechara, Evanildo
            Dicionário da Língua portuguesa Evanildo Bechara/ Evanildo Bechara. -1.ed Rio de Janeiro : Editora Nova Fronteira, 2011.
http://www.institutojetro.com/entrevistas/sempre%2Dha%2Do%2Dque%2Daprender/
http://semadema.com.br/wp-content/uploads/2013/03/Biografia-do-Pr-RUSSELL-SHEDD.pd
http://www.clipsvn.com.br/mostraTrabalhof.asp?area=TEOLOGIA&codtrab=84

Nenhum comentário:

Postar um comentário